Pequeno manifesto contra o infesto¹

(…) Mas esse era um dos problemas em que eu estava trabalhando, veja, as pessoas podem ser livres agora, mas a liberdade não tem conteúdo algum. É como um vazio uivante. (…)”
Fala de Herzog, do livro homônimo de Saul Bellow (pág. 68), Companhia das Letras (2011)

 

🙂 Risus cacosus 🙂 ou  acerca do kkkk na www [dádádá (bliu)] 🙂

kkkk → cácácácá (ad infinitum et ad vomitus)
CóCóCóCó → ovo post (ovum positis)
KêKêKêKê → ipso facto
KiKiKi  → faniquito de fã (fidelis)
KôKôKô → stercore virtual (virtualis)
KáKéKiKóKu → Quod erat demonstradum (Q.E.D.)

Riso sonrisa sonsa sonrisal
Ridendo nihil castigat mores porcaria nenhuma
Adoptare consuetudines risum sim senhora

Submundi sobremundo sobramundos
Mundiário global maravilha est
Supermerdário totalis melecasum

Humani nihil a me alienum puto(a) que pariu (P.Q.P.)

(¹) Antônio Siúves, “Moral das Horas e Outros Poemas”, Manduruvá, Belo Horizonte, 2013, pág. 69

 

[Atualizado em 06/04/2016]

Anúncios

2 comentários em “Pequeno manifesto contra o infesto¹

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s