Egon Jumenteu

Tu padeces de sol a sol, Egon Jumenteu.
E sob os destroços das redes sociais,
sucumbes na maré contínua do desastre.


Que mais te afliges, alma perdida,
a poluição virtual graxa ou o
gozo derramado qual lava insular,
polução glacial na penugem do dia?


Dói-te, Egon Jumenteu, a pichação online
nas fachadas do colosso Io&Yo&Ich&Eu
bem dentro dos lobos frontais
do mim mesmo, do teu euzinho trágico
a arrotar teu ser a sós sem aplicativo.


Por que te perdes face ao soberbo?
Galáxias-pixels a rebrilhar no plasma:
picam-piscam para ti no inflacionado céu cósmico.
Não tenhas medo de surfar as ondas do tempo.
O que é o tempo sem ontem nem amanhã?


(Imagens criam mantras. Canta:
eu-no-ventre, eu-de-pagão,
eu-em-uniforme, eu-chico, eu-bebum,
eu-doutor, eu-campeão-em-tudo,
eu-“tamos”-aí, eu-igual-minha-cria,
eu-meu-no-outro, eu-cool,
eu-comigo-ninguém-pode, eu-fodido,
eu-descolado, eu-apodrecendo,
eu-direito-esquerdo, eu-gourmet,
eu-do-bem, eu-instantâneo,
eu-em-ramas, eu-em-pó,
eu-derridente-“kkk”-cacofônico,
eu-fogo-fátuo eletromagnético.)


Tu não percebes a maravilha de um mundo
onde todos somos Rembrandts
a trocar figurinhas em Louvres singelos,
à revelia dos guias de turismo à escolta.


Não bebes do caudaloso sopão de self
à moda do divino Zuckerberg,
prato em nós enraizado, nova tradição
em nós cravada com os pregos
de todos os hiperlinks que nos reconstroem.
Não, não te maravilhas com este prato
servido em infinita resolução semântica.


Logo te enraiveces, Egon Jumenteu,
com o gozo de viver em um mundo
que persegue a saúde eterna
sob o domínio diário da morte.
Mundão, ó Jumenteu, ô meu irmão,
—pareces insinuar quando gaguejas—
onde o culto idiota ao suicídio
se multiplica em cada selfie no lixo.


— É o fim da arte, escutas de um niilista erradio,
e te enojas no poço do vômito do próprio tédio,
moribundo da existência desencantada.


Como te pões como cordeiro
sob a influência da multidão,
ó Egon, irmão condenado,
qual inseto na teia de aranha?


Ouves o raspar de unhas
nas malhas do eu na tela-papelão?
“— É corrente.”


Ouves o chuá ininterrupto
de bocas, corações, pés, olhos, mamas
e a função irrefreável do sexo, duodeno,
dos intestinos digitalizados?
“— É geral.”


Compartes? áureas de enxaquecas alheias,
o correr de corizas, borborigmos,
o estrebuchar de todas as cólicas em cadeia,
corrimentos, a infiltração dos cânceres
e tudo quanto é urro silencioso e inútil da dor
de quem sofre e morre inutilmente.
“— Todo mundo sente.”


Percebes o ruído da festa e do festival?
“— Demorô.”


Não sabes a origem da afecção
que te dá ganas toda manhã
de mergulhar nos vulcões de Io,
meu Jumenteu, meu ser azul.


Recusas a dividir o pão
dos prazeres do amor partido,
da transa telepática, dos cliques,
das curtidas e lambidas de cão
e dos miados de gatos vicários.


Diz, Jumenteu, também não anelas
a transparência desta energia escura
que acelera a vida planetária?


É o fim da pornografia
e a superação da palavra
no reino do emoji?
“— Hurra!”


É o apocalipse do bem nas trombetas
do Silicon Valley.
“— Aleluia!”


É fim do fim, o pessach das diásporas do bem.
“— Alvíssaras!”


Baixou a hegemonia do sim, do igual,
sim, do igual a ti, Jumenteu.


Desiste, meu irmão, meu igual,
deixa-te afogares na maré montante
do mar que derrama seu óleo
no espelho d’água de todos os oceanos
e a tudo concede
uma espessa capa negra da igualdade.


Publica-te.


Ama a publicidade de teus sonhos.


Goza de ti.


A gente mal pode esperar para
curtir teus selfies,
tua última lágrima, pobre Jumenteu.


Fica lançada assim a aposta
sobre se aqui dizes adeus.


Francis Bacon, 965, Três estudos para um retrato de Lucian Freud
Francis Bacon (1965): Três estudos para um retrato de Lucian Freud
Anúncios

Um comentário em “Egon Jumenteu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s