Galícia

Trago o sabor do Urujo,
O musgo cor de mostarda
Nas pedras a amparar as Rías,
E o teu sol impresso,
Tal como sonhara;

Trago o semblante da mulher
Que me vende um Godello,
E o sorriso do velho
De jaleco branco atrás do balcão,
Tal como sonhara;

Tudo a dizer que éramos,
O que morremos
No deserto da desmemória,
No paraíso amarelo do presente,
Tal como sonhara;

Trago o conviver entre tempos
Sem muros, a transigência
Entre ontens e hoje a iluminar
As lâminas que formam viagem
E viajante, tal como sonhara;

Trago no corpo a terna transição
Entre Portugal e Espanha,
Tenho na carne o canto galego
E a beleza do Parque Alameda
De Santiago, tal como sonhara;

Trago a piscadela de Rosalía de Castro,
Aonde me levam camélias em flor,
Gerânios e jacintos,
Aura a cingir o colo da poeta-mártir,
Tal como sonhara.

[4/”21 Poemas” – 2015]

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pôr do sol Rinlo, Lugo (Galícia), Espanha – Foto: José Fontan
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s