Andar

Não há clarim
Não há pirueta
Não há esgar
Não há caverna-catedral
Não há casa-cascão
Não há manhã de domingo
Nesta manhã de domingo.

 

O sol habitual
Debulha-se
Em duros grãos
Agora o ar
Rubro no sangue
A vertigem da pedra
O passo uma chaga.

[12/ "21 Poemas", antônio siúves — 2015/

mark rothko preto e marrom 1959
Um Mark Rothko Black on Maroom, 1958

		
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s