Anamnese

Um Mark Rothko sem título
Mark Rothko (s/ título)

 

Entre um dado e mil dados,
No correr do sucesso
De fatos e fotos,
Enredado em destroços
Do mundo encapelado
Pós-tsunami do tédio,
Já não me cabia
Entre a dieta e o remédio,
E me desavinha, náufrago,
Na estranha paisagem estilhaçada;

Ousar eu não podia
Interromper a viagem
Na jornada estendida
Que cumprir devia:
Minha nave errou
De rota na galáxia?

Quando a onda entrou,
A padecer de hipóxia,
Sei que desde então
Vago zambo,
Que quando me canso
Paro de supetão
Para um trago,
Ou num breve remanso
De farmácia, entre tantas
Estações que não alcanço;

Que, penso, não importa,
Mas a verdade mais lisa,
É que a vertigem me bate
No limiar da saída,
Ao sucumbir à gravidade
Que antecede a subida.

[15/ "21 Poemas" - antônio siúves - 2016]

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s