O uso abjeto de crianças na propaganda

Renoir
“Estudo dos Filhos de Paul Berard” (1881) – Pierre-Auguste Renoir – Instituto de Arte Sterling e Francine Clark (EUA)

Parece-me abjeta a banalização do uso da imagem infantil em comerciais de TV para adultos.

Contei num mesmo intervalo comercial a presença de crianças como “motivo condutor” de anúncios de um banco, de uma provedora de internet, de uma operadora de telefonia e de uma marca de carro.

Há algo de perverso no mundo da propaganda, provavelmente um reflexo do declínio da tradição literária e da hegemonia do audiovisual.

Alguém me mandou dia desses um comercial das Lojas Pernambucanas veiculado em 1962. E me lembrei de outro, dos Cobertores Parahyba, da mesma época.

As duas peças, me ocorreu, podiam ser vistas na história da propaganda como um idílio de uma era da inocência ante a atrofia da delicadeza.

A propaganda tem sofisticado a investigação dos desejos e da alma humana no capitalismo financeiro e tecnológico.

A criação publicitária parece fundamentada em pareceres de psicanalistas, antropólogos sociais e marqueteiros empregados como mascates pós-modernos.

Apelar à fragilidade, à inocência e à beleza inerentes à imagem infantil — de maneiras mais e mais refinadas — tornou-se a ideia mais valorizada pelas agências de publicidade e por seus clientes.

Elementos adaptativos relacionados à preservação da espécie — como a ternura filial — são a moeda de troca simbólica mais bem cotada no mercado publicitário — e quase um sucedâneo da realidade.

Isso não lembra a pornografia?

Sim, existe um quê de pornográfico na hiperexposição vicária de um desejo primitivo associado ao consumo.

Acabar com a exploração da imagem infantil na propaganda é uma causa que me parece mais urgente que a agenda verde e mais essencial que a luta por banheiro transgênero ou pela criação de um SUS veterinário.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s