Vargas Llosa volta à Cisjordânia e ao jornalismo

Llosa

O escritor Mario Vargas Llosa, 80 anos, retomou recentemente sua veia jornalística, ao viajar à Cisjordânia para escrever sobre o problema dos territórios ocupados por Israel em 1967, há quase, portanto, 50 anos.

No próximo dia 30, o El País começa a publicar uma série com seus relatos.

Na coluna quinzenal que envia ao jornal espanhol, deste domingo, Vargas Llosa dá uma espécie de pontapé inicial nessa cobertura.

Segue o primeiro parágrafo do texto em português.

Os justos de Israel

Yehuda Shaul tem 33 anos, mas parece ter 50. Viveu e vive com tanta intensidade que devora os anos, como os maratonistas os quilômetros. Nasceu em Jerusalém, numa família muito religiosa, e é um de 10 irmãos. Quando o conheci, há 11 anos, ainda usava quipá. Era um jovem patriota, que deve ter se destacado no Exército enquanto cumpria o serviço militar, pois, ao terminar os três anos obrigatórios, o Tsahal lhe propôs fazer um curso de comando e ficou mais um ano nas fileiras, como sargento. Ao retornar à vida civil, da mesma forma que muitos jovens israelenses, viajou à Índia, para clarear as ideias. Lá refletiu e pensou que seus compatriotas ignoravam todo o mal feito pelo Exército nos territórios ocupados, e que sua obrigação moral era torná-lo público.

Continue a ler no El País Brasil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s